etílica   
      


etílica

princesa espirituosa
brilha fina.

você e seus impropérios meteóricos.
o olhar de curiosidade,
de menina atinando com meus prazeres.

ah...tanto tinto, etílica.

escrava radical, fiel.
borbulha, dá na vista.

você e suas curvas estonteantes
o sorriso de pecado,
de mulher atiçando meus defeitos.

eu, deste lado, etílica.

amigo vivaz
engrosso, mareio, estanho.

nós e nossa sinuosidade 'estérica'.
tantos beijos embolados,
de corpo único, mãos ao alto, atirando êxtases.

é assim, etílica, ébria paixão.

SP 29/01/01
Jean Boëchat




| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]