no piano   
      

No piano: o fim.

Graves e agudas,
tonalidades da vida

Ontem eu ouvi o canto final

Cada nota, uma lágrima
Uma lembrança de tudo

Os cães calaram
A casa calou

Mas não se foi a vida
Renova-se, sempre

em outubro, em primavera, em corações selvagens

No piano: o começo.

SP 28/09/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]