tolices   
      

Isso eu já sabia.

Não devia te procurar.
Não devia me iludir.
Nem deixar eu me apaixonar.

Já está na hora de aprender,
mas aprender por que?

Se eu sei o que é impossível?
Se eu sei o que é ruim demais?

Não há como evitar, não.

Minha vida sempre foi arruinada,
te deixo em paz.

Não devia.
Não devia.
Nem deixar.

De você eu já sei de tudo. Mas insisto assim mesmo.

Conceição do Mato Dentro 28/07/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]