botânica tarde   
      

Sol escaldante.
De deixar tonto.
Faltavam melodias ali, perto do Jardim Botânico.

Um fim de tarde infernal, assim, de terça-feira. Tinha um jeito de meio-dia mesmo.
Talvez fosse o resultado de uma hora na fila do banco e tanta conta pra pagar.
A vida não é nada fácil.

Preferia estar perto da praia ou quem sabe, da Lagoa.
Assim, cada gota de suor não me lembraria um chopp necessário.

Não vejo a hora de encontrar as flores. Aqueles bancos perfeitos, perdidos no meio de tantas árvores, restos de um tempo antigo, de uma antiga vontade carioca.

Seria só: sentar, olhar pro céu, olhar pro chão e pensar na vida.

SP 26/11/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]