carta aberta para uma flor   
      

você diz que tem medo
eu também tenho

mas eu pergunto: medo de que?

se você tem medo do escuro,
deixa eu ser sua luz

se você tem medo de dormir,
deixa eu velar seu sono

se você tem medo do sol,
deixa eu ser protetor

se você tem medo de andar nas pedras,
eu fico com você na praia

se você tem medo de altura,
a gente engatinha até a beirada

se você tem medo da claridade,
deixa eu ser sua sombra

se você tem medo da água,
eu posso ser sua bóia

se você tem medo de fantasma,
eu faço mandinga e desconjuro todos

se você tem medo da rua,
tudo bem, ficamos em casa


se você tem medo de mim, do mundo e de você,
eu também tenho,
mas,
me deixa chegar perto
segurar as suas mãos
segura as minhas
e escolheremos juntos o que enfrentar, ou não


mas, no final de tudo,
se você tem medo de amar...

medo de amar é ter medo da vida

tá.
vai ser mais difícil, mas não custa tentar,
basta você querer só um pouquinho.

tem medo de querer? tsc tsc

SP 26/09/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]