volto a recordar  
      

volto a recordar
mentiras

histórias que nunca aconteceram

entre nós, entre tudo

aquele vôo estranho
o pouso sobre os telhados

o vento que não parava mais
o fim daquela tragédia

volto a recordar
mentiras

contadas por velhos nas praças

sobre nós, sobre tudo

falavam de revoluções
de sanhas endiabradas
de bravatas e batalhas

o tempo que não passava mais
o começo daquela novela que eu perdi o final

só resta voltar a recordar

Paris 25/06/08
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]