cidade clarabóia  
      

cidade
teu nome
teu olho

de rio, de prata.

cidade
teu nome
teu olho

de luz, de tardes.
cidade
teu nome
teu olho

que constrói, que levanta.

todas as pontes, os prédios, as casas, as ruas, as janelas que se abrem.

cidade
teu nome
tua cara

no vento, no céu
nas curvas, na ida, na volta.

cidade
teu nome
tua cara

em cada pessoa, em cada quilometro, 
espaço, pedaço, emoção.

cidade 
teu nome
teu corpo

de mistério, de partes, de história.

cidade
teu nome
teu corpo

uma vitória, uma ilha.
no centro do meu mundo.

Paris 25/06/08
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]