fechamento  
      

o papo acabou.
a praça vazia.

e aqui, só, palavras.

onde estavam? ninguém sabe.

na ponta da caneta, 
na ponta da língua,
num beijo perdido.

dos que não acontecem.
dos que nunca vão acontecer: jamais.

Paris 25/06/08
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]