até amanhã
   




amanhece estrela que resta
madrugada passa, que festa
na última gota, no pouco da fumaça
amanhece estrela que resta

que hora é essa, que só me traz passarinhos?
e um frio calmo, sereno da madrugada

volta pra cama, estrela que resta
vida que passa, nessa pressa (nada presta)
na última flor, no pouco da fumaça
volta pra cama, estrela que resta

que sonho é esse, que só me traz passarinhos?
e um desejo denso, pleno da madrugada

deita ao meu lado, estrela que resta
calma que passa, nessas pernas
na última hora, no pouco da fumaça
deita ao meu lado, estrela que resta

que gozo foi esse, que só me traz calafrios?
e um sono claro, veneno da madrugada

enfim: dorme comigo, estrela que resta
e apaga, nós dois. até amanhã.

SP 22/11/06
Jean Boëchat
Foto: Autoria desconhecida


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]