se você tem medo   
      


Se você tem medo
segura minha mão.

O mundo tem tanto segredo
pensando assim, quem sabe, você tem até razão.

Não apele para versos pobres
não se prenda ao ritmo infantil.

Apenas quero ficar olhando as nuvens
e estar pronto para hora de viver.

Se você tem medo
aperta forte, não larga não.

Eu também sofro cedo
sei de tudo, sabe não?

Campos de morango para sempre.
Esculturas de papel, desenhos de criança.
E não ter mais nada para se preocupar.
Porque ela vem em cores.

Eu tenho muito medo.
Sei de nada, sou cagão.

Faço pose, boto banca, passo um sebo
desse jeito, não consigo, cola não.

Sendo assim,
qualquer coisa que eu fizer,
não vai dar fim.
Outros sonhos, tristes,
tantos, simples em mim.
E eu perdendo tempo com bobagens.

É. Não dá.

SP 21/08/00
Jean Boëchat




| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]