empresto do gilberto   
      

me empresto dele
pra essa tal saudade
tamanho de avião

me empresto dele
superhomem tal poderes
daquela canção

um dia

me empresto dele
abacateiro tal fruto delicioso
teu amor, ao cair no chão

me empresto dele
anjos para trazerem marés
e a gente junto pra ver o luar.

quem dera

compreender
verão, outono, inverno, primavera
e só por ela ser, quem sabe?

sou poeta, seresteiro
mudo o rumo da história, por causa de você, mulher.

SP 21/06/01
Jean Boëchat




| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]