toda noite sem fim   
      

combato teu olhar soturno
com um sentimento preciso
retirando para dançar
o corpo, a alma, a certeza

enfrento teu medo noturno
com um pensamento conciso
convidando para amar
o corpo, a alma, a certeza

briga boa
tira sangue
arranca lascas
um tango fervoroso

briga boa
deixa marcas
tira pedaços
um mambo nervoso

só assim para roubar beijos
acepipes de delícia em nossas bocas

só assim para roubar carícias
delicados petit-fours de prazer para os corpos

mais uma noite dessas, e os vizinhos a se perguntar:

"- é festa ou demolição?"

SP 18/12/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]