a goleada   
      

Senhoras e Senhores,
temos aqui, hoje, uma vitória histórica:
A goleada.

Inesperada,
como é o tempo

Exagerada,
como é o espaço

Palmas, fogos, cores e canções
Explosão em gol

Quem viu, viveu:
A goleada.

A imponência do resultado

Se fossem só gols, ah, se fossem só gols

Mas foram dribles de palavra,
foram passes de letra, voleios poéticos

Sentimento olímpico

Em poucos segundos,
as cornetas se calam,
as bandeiras se abaixam,
e a goleada vai para as páginas do amanhã

Ser apenas, mais uma goleada.

SP 18/09/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]