anseios   
      

desejo de antes
descontrolável ardência
de querer muito, mas muito mesmo
aquilo que nem sabia
que nem conhecia
um sabor

desejo de antes
imponderável tempo
de esperar sincero, mas sincero mesmo
aquilo que nem sentia
que nem vivia
um ardor

novidade de criança

desejo de antes
inevitável poema
de tanta palavra, mas tanta mesmo
aquela que não dizia
que não se ouvia
um amor

"sai de onde estás, pra eu te ver"

SP 18/09/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]