sob totura   
      

me colocaram uma arma na cara
pediram que eu confessasse
um crime qualquer, um pecado

muitas ameaças e porradas
por todo corpo, toda honra

não sei o que eles querem
com a cara tão amassada,
já não sei nem o que eu quero

talvez meus dentes de volta
os litros de sangue derramados na sala

o orgulho e a ideologia já deixei para trás

SP 18/09/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]