profissão de fé   
      

me lembro do dia
em que aquele menino
me falou sobre as palavras
disse para quem eram
contou o porque de todas
e sua grande descoberta

tem gente que me pergunta: como?
tem gente que me pergunta: quem?

quase nada é tão inefável do que minhas próprias palavras.

me lembro do dia
em que aquele senhor
me falou sobre as palavras
disse como se brinca
contou estórias sem razão específica
e me instruiu em sua fé

tem gente que me pergunta: quando?
tem gente que não me pergunta: nada.

quase nada é tão provável do que o meu sabor de letras.

talvez seja por mim.
talvez seja por você.
com certeza, é por nós, sempre.

que assim seja: p-o-e-s-i-a.


SP 18/08/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]