carnaval passado   
      

Longe, longe,
triste está o Pierrot.

Não sabe se a Colombina dorme.
Não sabe se a Colombina vive.
Não sabe mais de nenhum carnaval.

Não pula mais.

Triste, triste,
longe está o Pierrot.

Não sabe mais do amor mascarado.
Não sabe mais do confete perdido.
Não sabe mais de nenhum carnaval.

Esconderam-se as serpentinas.

Assim, assim,
no fim está o Pierrot.

Não sabe se a Colombina pede.
Não sabe se a Colombina ama.
Não sabe mais de nenhum carnaval.

Não se ouve mais canções.
Só um chorar miúdo,
de lágrimas secas, prateadas.

E um bumbo a esperar outro carnaval.


SP 18/08/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]