pimentinha   
      


Tantos anos, aquela voz. A voz.

Voz que é estrela.
Voz bêbada. Bêbada voz.

Voz que não cala, vive.

Mãe: vi seus filhos.

As melodias.

O que foi feito? O que foi visto?

Não. Ouvi.

Tudo em esquecimento. Relíquias, vestígios.

Ah... tu és feliz. Viva.

Não lhe faltem homenagens.

SP 17/03/00
Jean Boëchat




| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]