acrílico e óleo, carvão   
      

Tua
em acrílico e óleo, carvão
cor, o centro de tudo
a mão, perdida em outra mão, perdida em outra mão, a repetir

Teu
escorrendo, leve límpido
dedo, misturando azul e amarelo
sendo verde-calma

Tua
borrando em peitos
dor, momento profundo
a boca, encontrada em outra boca, paz

Teu
rolando, suave ímpeto
cedo, encontrando novo e velho
tendo sede, palma

Tua
na sala, luz de vidro
a pele, o pêlo, o chão imundo
ventre, nuca, rosa apaixonada a repetir, de novo

Teu
corpo-tela, obra-prima
medo, aproximando mundos
vento, brisa e mar, desnudos

Tua, és pintura lúdica
Teu, és poema inédito

Nós, o que estamos esperando?
São distâncias, só saudades.

SP 15/06/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]