mais longe   
      

Cada vez mais longe

Em cima de um morro
gramado
Embaixo de um dia
nublado

Cada vez mais longe

da falta de respeito
da falta de coragem
de futilidades

Cada vez mais longe

das migalhas,
dos restos,
das sobras

Cada vez mais longe

do medo de amar
do medo de viver
do medo de estar

Cada vez mais longe

Uma lágrima, não por mim
É o que perde que está
Cada vez mais longe

SP 14/11/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]