descolar   
      

Coisa de jeito. Coisa de passar.

Assim, não se soltar.

Dificultária.
Impenetravelmente custosa tortura.

Um passo a frente,
o que é, quebra.

Encosta, chega perto.

Passa um dia, semanas, séculos.

Na fila da vida, dá tremedeira.

Pergunta por mim? Quer saber?

Todo meu amor escorreu,
o que sobrou foi um tanto de tristeza.

Deixa a noite cair, deixa o dia morrer.

Para seguir em frente e esquecer.

Merda. Não queria. Ela sim.

SP 13/12/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]