toda a força à frente  
      

ele sabia que para navegar era preciso aprender:

a reconhecer o sabor do ventos.

a entender os sinais das estrelas.

a perceber os desejos do mar.

era preciso aprender.

mas certas almas não têm nada:

não têm controle

não têm certezas

não têm a mínima noção de qualquer risco que correm.

não têm nada.

e assim foi, oceano, atrás de sabedoria e conhecimento.

foi.

e não voltará mais.

SP 13/07/08
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]