bilhete   
      

"não olho para trás
não sei de nada
tenho só estrada,
visões e pensamentos.

deixo meus filhos
deixo desejos
deixo meses
para crescer um novo amor."

e assim escreveu um dia, paula.

dali, nunca mais se viu
a vida
os porres de vodka
o corpo nu
e a vontade de gritar

foi-se paula
de vestido cavado,
azul escuro e tênis branco nos pés.

sabe pra onde? para as pernas da moça verniz.

SP 13/07/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]