fase zero   
      

míngua
me engana
me deixa
na tua língua
a cair
no meio
do meu solo gelo
azul flerte
de meu desespero
no cinza de teu
peito e branco
desvia
a tua alma aperta
vermelha
em meu desconsolo
no mato de teu
preto e brando
espelho
a refletir
em olhos
a vida
enxergar
no breu
em lua
me deitar a boca
e dizer:

"- és salgada? és louca?"

SP 11/07/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]