O dia todo, todos os dias   
      


Alguma coisa por ti, por mim,
por tudo o que acontece.
Assim de um jeito bonito,
um par de letras que encontra a gente
nas horas mais engraçadas -
o barulhinho da água lá embaixo

O sol, o sol,
um pouco de ar puro faz bem,
diariamente

A vida,
Como a gente a imagina
Como quer o amigo,
Como diz a amiga,
Que assim a quer mostrar

Ela não se lembra - sabe, era um poema telefônico.

O dia -
todos os dias são dias de amigos,
de tortas de morango,
de abraços apertados,
de presentes e letrinhas.

De palavras doces que se escreve para os outros - sem medo, diz ela

E assim aparece uma coisa boa
Boa demais - a amiga chega com papéis

E assim se faz o poema.

Poema?

Bom é viver sem efeitos especiais, né?


... ao amigo bossanovista, ao outro de fala mansa e à amiga do tênis laranja

SP 07/08/00
Mariana Newlands




| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]