lembre quem vive  
      

lembre quem vive:
os tempos são outros

de amores não verdadeiros
de ásperas incertezas

cortam a garganta
arranham as palmas
ferem os pés

lembre quem vive:
os tempos são outros

de secura nos lábios
de agudas clarezas

cegam os olhos
invadem as almas
explodem os pensamentos

lembre quem vive:
os tempos são outros

SP 04/08/08
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]