la strada   
      

Olhe para frente, moço.
Olhe, sempre.


Abra os braços, assim mesmo, em cruz.
Feche os olhos, assim mesmo, em luz.


Siga para frente, seu moço
Siga, sempre.


Peito em honra, assim mesmo, em flor.
Músculos tensos, assim mesmo, sem dor.


Viva para frente, seu moço.
Da forma mais simples, sempre viva.



BH 04/08/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]