canção para uma nova mãe e suas filhas   
      

De onde vem, pra onde vai
não sei, não sabe, não quer ligar.

Renascida de cinzas
de cores de luzes
é brilhante: clara e única.

Mesma variação de primavera
de margaridas em pétalas
de calorzinho assim: firme, forte, bela e quase dependente.

Quando vem, quando vai
não sei, não sabe, não quer retornar.

No céu aponta: estrela.
Cativa suave, seduz dispersa
para resolver todos os problemas.

E lá, é soberana.
De sabor intrínseco, na pele,
no corpo: desejo de viver e enfrentar. Intensamente.

Vem? Vai?
Ninguém sabe.
Apenas quer chegar: vida nova.


SP 03/10/04
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]