um homem de tanta certeza   
      

Um homem de tanta certeza
Tem que quebrar a parede de açúcar do conforto

Um homem de tanta certeza
Tem que atravessar um rio sem molhar os cabelos

Um homem de tanta certeza
Tem que sorrir assim mesmo, quando Alice perguntar

Um homem de tanta certeza
Tem que abrir os ossos e sem entregar, sem dor

Um homem de tanta certeza
Tem que tocar a corda, esticar o som

Um homem de tanta certeza
Tem que mergulhar do limite ultrapassado

Um homem de tanta certeza
Tem que ser o seu centro de tudo

Um homem de tanta certeza
Tem razões para acreditar no amor

Um homem de tanta certeza
Tem emoções para fazer sangue pulsar

Um homem de tanta certeza
Tem certeza de que nada é por acaso.

Nada é simples.
Nada é fácil.
Mas nada é impossível. Tenho certeza.





SP 03/09/01
Jean Boëchat


| anterior | Índice | próxima |


©Mariana Newlands e Jean Boëchat [ Todos os direitos reservados ]